Resitência ao tratamento medicamentoso do TDAH

Baseado no post anterior, onde achei algumas coisas falando sobre as demais opções de tratamento do TDAH, a não ser a medicamentosa, o que inclui: acompanhamento pscológico, dos pais e professores. Encontrei uma reportagem, bem polêmica, publicada pela revista Época, na edição de 07/11/2006, de autoria da psicóloga e monja iogue Suzan Andrews, criticando o tratamento á base de remédios no TDAH.

A doença fantasma por Suzan Andrews

Achei também no site da ABDA [sim o site tem muita coisa legal =D] dando várias respostas às pessoas que não procuram se informar com relação ao transtorno.

O especialista fantasma

Tratamento Medicamentoso do TDAH

Hum *pensando*

Eu tô com poucas idéias pra montar esse post, então preferi pesquisar sites relacionados,  colar os links e dizer do que se tratam, sites confiáveis é claro =p

ABDA –  Quais medicamentos são usados hoje no tratamento do TDAH

Dra. Evelyn Bitencour –  Crianças podem tomar medicamentos controlados?

ABDA – Resistência no tratamento medicamentoso do TDAH

IPDA – Tratamentos Medicamentosos para TDAH: Um debate em aberto

TDAH em Foco

tdahemfoco

 

Sem querer achei esse site muuuuito interessante mesmo.

É feito em flash e tem formato de revista, super colorido [chama atenção \o/ hsauhaua] foi projetada pra um portador de DDA , não tem como não conseguir ler os textos com páginas tão coloridas.

Aproveitem! o/

E como aspirante a webdesigner q sou [bem aspirante msm viu gnt shaushau] gostei bastante também

O link tá bem ali do ladinho, mas quem quizer clicar na imagem, fique a vontade ^^

Espero q gostem o/

 

 

Problemas Emocionais e Comorbidades(?)

Em primeiro lugar, o que são Comorbidades ?

É a junção de duas ou mais doenças acontecendo em um mesmo paciente, com uma ligação direta entre esssa doenças. No caso do TDAH, são todas as outras síndromes que surgem em consequência do TDAH.

Quais são eles?

Ansiedade, Transtornos de Humor, Depressão, Transtornos relacionados ao controle de impulsos, de alimentação e outros.

Normalmente o TDAH é mais difícil de ser diagnosticado em adultos, devido aos conflitos entre os roblemas emocionais e as comorbidades que nos acompanham de brinde, além das constantes mudanças desses sintomas do TDAH na fase adulta. E que às vezes podem ser piores que o próprio TDAH.

Com o tempo o paciente com TDAH vai vendo que não tem muita produtividade diante de tanto esforço, se compara com outras pessoas que não fazem tanto esforço e acabam criando a idéia de incapacidade ou qualquer outra características negativa. O que resulta no surgimento de problemas psiquiátricos que interferem na vida social daquela pessoa, que aliado à própria impulsividade, característica do TDAH, acaba fazendo com que ele não tenha uma carreira bem sucedida,  possa se esconder atrás de vícios como àlcool e drogas ou qualquer outra coisa que conforte aquela condição de insatisfação, podendo até chegar a marginalidade.

Bom…eu mesma já passei por muitas dificuldades como já disse aqui no blog, sempre tive ansiedade, vivo tendo tiques nervosos, meus amigos nem estranham mais hsauhsau já virou uma parte de mim. Já tive problemas depressivos, já abusei de àlcool, cigarro e drogas também, isso já é passado. Foi um período muito difícil pra mim e pros meus pais, por que até então eu só achava que meus problemas estavam no âmbito UFMA-Problemas familiares. Quase tranco meu curso, vivo tendo vontade de jogar tudo pra cima, enfim, todas as coisas que uma pessoa com TDAH tem.

Fontes: ABDA, TDAH e Comorbidades

1ª vez com a Rita

Às vezes? Eu vivo me sentindo uma inútil.

Amanhã eu tenho um seminário pra aprensentar e quem diria, eu não consegui estudar nada, N-A-D-A, e olha q eu tentei. Não vou dizer q tentei MUITO, o assunto também não colabora de tão chato e complicado que é. Começava a ler e no 2º parágrafo eu já tava pensando em outra coisa ou em como eu ia me lascar na apresentação ^^

Minha última tentativa foi hoje, após tomar pela 1ª vez minha 1ª dose de Ritalina. Se adiantou de alguma coisa? Bom, confesso que senti umas coisas diferentes, mas MUITO pequenas, até por que é a primeira vez que tomo esse medicamento né!?

Quase desistindo de apresentar o seminário, vou tentar estudar mais um pouco. Mas algo me diz que estudar 80 páginas nas aproximadamente 17 horas que eu ainda tenho tenho até lá, se torna meio impossível, considerando que eu ainda preciso de no mínimo 7h de sono, eu tenho 10 horas pra estudar 80 páginas, 8 páginas por hora, sem parar, sem descançar.

E 80 era apenas algumas das 173 páginas q eu deveria ter estudado nas duas últimas semanas, dentre outras coisas que também deveria ter feito.

E até que o efeito da Ritalina comece a se apresentar, eu vou tentando não me sentir uma inútil. =)