Arquivos da Categoria: Categorias

Yôga e TDA-H

Das muitas atividades recomendadas pelos médicos, hoje o Yôga é a prática mais aceita para o tratamento de várias doenças, inclusive o TDA-H. Não só o relaxamento e meditação, mas toda a filosofia Yôgui amenizam os sintomas de hiperatividade e ensinam o aluno a lidar com a parte negativa do TDA-H.

Contradizendo a opnião de muitos, o Yôga praticamente não tem contra-indicações, além de provocar uma resposta mais rápida aos tratamentos realizados, muito mais que outras atividades físicas. Pode até levar a exclusão do uso dos medicamentos, apesar de não ser recomendado pelos médicos, pois são eles que diminuem alguns sintomas que o Yôga pode não amenizar.

Eu já pratico Yôga há mais de 3 anos e sei a diferença que isso fez em mim. Quando eu comecei não sabia que tinha TDA-H, nem sabia que existia xD eu comecei mais pela minha ansiedade que sempre me atrapalhava muito, mas hoje eu percebo o quão enorme foi a mudança. Tudo no Yôga, os ásanas (posturas corporais), os pranáyámas (atividades respiratórias), yôganidrá (relaxamento), samyama (meditação), e outras partes (ashtangas) que fazem parte da prática, além de toda a filosofia, me ajudaram a melhorar quase tudo em mim. Meu respeito por mim mesma, pelo meu corpo, minha mente. Eu aprendi a lidar com as limitações que vieram comigo desde o nascimento, e isso é MUITO complicado, mas hoje eu reconheço que aprendi, não tudo, mas boa parte =)

Eu pratico a linha heterodoxa do Swásthya Yôga (não vou explicar muito por que não vem ao caso, depois eu publico algum link pra

vocês entenderem), e existe toda um razão e propósito de se praticar Yôga, e não é qualquer pessoa que entenderia tudo isso, tem que acreditar e principalmente estar disposto a abdicar de certas coisas pelo bem da prática, que vale muito a pena.

Aos que querem dar uma chance ao Yôga como forma de tratamento, eu recomendo que leiam antes de começar a praticar em qualquer academia que oferece “Ioga” com qualquer instrutor. Me mandem emails, comentem no post, eu posso responder as dúvidas, sem problemas ^^

Até a próxima o/

fontes: Folha.com , Esclerose Multipla

Anúncios

De novo

Bom, como alguns já viram eu tô dando um organizada no blog, não só no layout mas no formato dele mesmo.

Estou procurando mais publicações e fontes de informação pra divulgar aqui pra vocês e vou tentando mudar também esse meu jeitinho meio sentimental demais nos posts. Não vou deixar de ser pessoal, até por que vocês precisam se identificar um pouco pra acompanharem o blog =) Mas vou tentar lançar mais informações úteis pra vocês. Saiba mais

Acompanhamento psicológico e suas dúvidas

Bom! Como falei no post anterior, tive que parar com a Ritalina por cota da minha ansiedade e fui procurar um acompanhamento psicológico pra tratar desse mal que me acompanha desde q eu me entendo por gente 🙂

Bom! Talvez todo psicólogo que não seja especializado em TDA-H fale isso, mas é uma possbilidade a se pensar…

Tava em dúvida com qual psicóloga ou analista eu deveria me consultar, duas analistas e a psicóloga q me acompanhou desde os 8 anos de idade – passei minha vida quase toda me consultando com ela, desde os 19 anos que não aparecia por lá, hoje eu tenho 21 – Como DDA é um transtorno que nasce com a gente, achei q ninguém melhor que ela p poder me ajudar no diagnóstico real e no tratamento. (Adendo: hoje eu tô com 23 anos, e tem mais de um ano que não freqüento o consultório)

Quando cheguei ela foi logo dizendo que em adultos o diagnóstico é mais difícil, e que em mim era difícil que o diagnóstico fosse de TDA-H justamente por que ninguém nunca pensou que pudesse ser isso e nunca reparam nos sintomas durante meu crescimento, e que especialmente em mim, todos esses sintomas podem ser uma somatização de todos os problemas que eu estou passando e pode ter desencadeado, também, numa ansiedade e numa possível depressão. Sendo assim, contei algumas coisas da minha vida nos ultimos anos em q não apareci por lá, de fato muita coisa aconteceu e eu não tinha tomado as melhores decisões com relação a resolver meus problemas, parecia mais q eu tava empurrando tudo p debaixo do tapete com uma cara feliz =p

Enfim! Ela frisou q eu não poderia ficar pensando q realmente é TDA-H e que iria fazer uma avaliação pra TDA-H e depressão.Vamos ver no q  vai dar!

Isso tudo me fez ficar pensando, eu realmente fui um pouco precipitada com relação a esse diagnóstico.Eu só queria um motivo p resolver logo os problemas e talvz até quizesse q fosse DDA mesmo, com medo de enfrentar alguns problemas q são difíceis p mim, de admitir q ainda existem.Talvez seja DDA misturado com todos esses problemas, talvz não seja, não sei, vamos ver oq tá acontecendo, eu só quero q isso tudo se resolva =)

De volta ao consultório

Hoje foi a minha 3ª consulta à neurologista, 1 mês depois de pegar a receita da Ritalina e começar o tratamento. Digamos, que não foi das melhores visitas, foi meio que pra esclarecer umas coisas.

Desde que comecei a tomar Ritalina, meus tiques nervosos aumentaram e voltaram quase todos. Minha ansiedade aumentou, comecei a ter ânsias, como se tivesse uma dor no peito e minhas irritações ficaram mais constantes.

Diante disso a neurologista achou melhor suspender o medicamento, já que uma das contra-indicações era o aparecimento de tiques nervosos. Disse que se eu continuasse meus tiques poderiam piorar e minha ansiedade generalizada poderia desencadear em uma Síndrome do Pânico.

Comecei a ficar preocupada com o que eu tava me tornando, nunca fui de ter problemas assim, sempre fui bem animada, rodeada de amigos, decidida, engraçada, empolgada. Sempre me dei bem com as coisas do meu dia a dia, as barreiras, enfim…hoje eu sou praticamente o contrário.

Sendo assim, a doutora achou por bem tratar primeiro a ansiedade, que era o que me impedia de continuar o tratamento. Me indicou duas analistas e que tomasse um anti ansiolítico. Relutei um pouco, por que nunca gostei muito de tomar remédio pra essas coisas e como eu faço yôga, poderia prejudicar de alguma forma. Então fiquei de voltar lá caso decidice por tomar o anti ansiolítico.

Ela também acrescentou que eu preciso me animar, me estimular, perguntou até sobre meus amigos, comentou de como eu andava na faculdade, minha vida e eu comigo mesma. Que eu não poderia deixar as coisas assim…como uma pessoa que não sabe nada da tua vida consegue pegar os pontos certos que estão errados na tua vida? eu fiquei mal, muito mesmo.

Saindo do consultório fui me encontrar com minha mãe, falei como tinha sido a consulta. Ela enfatisou que eu não poderia ficar assim mesmo, que eu deveria tomar uma atitude, decidir o que fazer…mas eu não sei oq fazer, não sei mais se quero continuar na faculdade, mesmo depois de 3 anos lá dentro :/, se eu sair do curso não sei pra qual área eu iria,  não sei o que se encaixa nos meus gostos, não sei de mais nada, eu gosto de tudo e ao mesmo tempo nada me satisfaz. Eu não quero dar trabalho pra ninguém, mas tô fazendo meus pais gastarem o que eles não podem pra descobrir o ueq eu tenho. Tem coisas que eu quero falar mas não posso, pq sei q eles não vão aceitar e vou ter mais problemas. Não encontro um psicólogo/analista que possa me ajudar.

Eu tô perdida, , parece q eu to num ponto da estrada onde existem milhões de caminhos, uns não consigo ver, outros tão muito distantes de alcançar e todo o resto tá coberto de buracos, pedras e não tem ninguém pra me guiar, ninguém pra tirar dúvida.

Estimulando uma mente DDA

Bom..como nem tudo são problemas tô colocando, tarde demais, mas estou =D um espaço com alternativas pra que nós DDA’s consigamos nos concentrar e nos estimular e ver nossos próprios talentos

Baseado em post do orkut, sites especializados e de minhas queridas conclusões, reservei umas  dicas, e com o tempo vou colocando mais.

Aproveitem =)

Estimulando uma mente DDA