Arquivos Mensais: abril 2009

1ª vez com a Rita

Às vezes? Eu vivo me sentindo uma inútil.

Amanhã eu tenho um seminário pra aprensentar e quem diria, eu não consegui estudar nada, N-A-D-A, e olha q eu tentei. Não vou dizer q tentei MUITO, o assunto também não colabora de tão chato e complicado que é. Começava a ler e no 2º parágrafo eu já tava pensando em outra coisa ou em como eu ia me lascar na apresentação ^^

Minha última tentativa foi hoje, após tomar pela 1ª vez minha 1ª dose de Ritalina. Se adiantou de alguma coisa? Bom, confesso que senti umas coisas diferentes, mas MUITO pequenas, até por que é a primeira vez que tomo esse medicamento né!?

Quase desistindo de apresentar o seminário, vou tentar estudar mais um pouco. Mas algo me diz que estudar 80 páginas nas aproximadamente 17 horas que eu ainda tenho tenho até lá, se torna meio impossível, considerando que eu ainda preciso de no mínimo 7h de sono, eu tenho 10 horas pra estudar 80 páginas, 8 páginas por hora, sem parar, sem descançar.

E 80 era apenas algumas das 173 páginas q eu deveria ter estudado nas duas últimas semanas, dentre outras coisas que também deveria ter feito.

E até que o efeito da Ritalina comece a se apresentar, eu vou tentando não me sentir uma inútil. =)

Qual medicamento usar?

Bom, já vi muitas pessoas falando e se perguntando por que determinado medicamento não funciona com ele[a], que só alguns tiveram efeitos colaterias, mas a atenção continuava deficiente, outros não sentiram efeito nenhum. E na minha última consulta à neuro, que tá me acompanhando, ela disse “sem querer” o motivo, que deve esclarecer algumas coisas pra muitos de vocês.

De acordo com estudos já realizados “o que parece estar alterado nesta região cerebral é o funcionamento de um sistema de substâncias químicas chamadas neurotransmissores (principalmente dopamina e noradrenalina), que passam informação entre as células nervosas (neurônios). Existem causas que foram investigadas para estas alterações nos neurotransmissores da região frontal e suas conexões.” fonte: ABDA

Ou seja, existem pessoas que possuem TDAH por deficiência da Dopamina outras por deficiência da Noradrenalina, mas até agora não achei nenhum site, documento ou artigo falando se essa deficiência pode ocorrer com os 2 hormônios no mesmo indivíduo.

Sendo assim os remédios que são utilizados no tratamento do TDAH agem apenas em um dos neurotransmissores ou em mais, dependendo do medicamento.Por exemplo: a Ritalina de curta duração, tem efeito na Dopamina, assim como a Ritalina LA, de longa duração, já o Concerta, tem efeito na Noradrenalina e na Dopamina.Mas ao que se sabe apenas 30% dos indivíduos com TDAH não possuem deficiência da Dopamina, não respondendo, assim, ao tratamento com a Ritalina, ou qualquer outro medicamento que atue, apenas, nesse neurotransmissor.

Eu andei procurando se existe uma forma de dianosticar qual é o neurotransmissor deficiente pra q o medicamento adequado pudesse ser previamente receitado e assim evitasse com que o portador de TDAH passasse por “cobaia” xDD. Mas eu vou continuar procurando a respeito.

Mudanças repentinas de humor

Eu sempre tive problemas de mudança de humor assim do nada. Nunca me esqueço do dia em que eu tava feliz da vida e do nada saí cortando em todo mundo, fiquei de cara emburrada e nem sabia o motivo e por que eu continuava daquele jeito. Isso as vezes causa um grande problema pra gente. Eu dá medo, muito medo xD

Na comunidade que eu participo surgiu esse assunto de humor e então fui buscar algumas explicações.

Conclusão: mudanças de humor repentinas fazem parte das comorbidadse que veêm  junto com o TDAH. O que é comorbidade?  São todos os outros transtornos que podem aparecer, devido ao TDAH, no caso.

Esses aí embaixo são trechos de dois textos que eu achei e o link-fonte. É bem interessante principalmente para as meninas =)

“As meninas e mulheres que apresentam sintomas de Hiperatividade e Impulsividade mais marcantes, os expressam de forma diferente da dos meninos. São frequentemente menos rebeldes, menos opositivas, e a Hiperatividade se expressa através da fala e da ação. Como a comorbidade com os Transtornos de Ansiedade e Depressão são os mais frequentes, costumam ter uma instabilidade emocional importante, com frequentes mudanças de humor.”

fonte: ABDA

“No sexo feminino, os sintomas do TDAH aparecem de forma marcante através da desatenção, e não da hiperatividade e impulsividade, mais evidentes no sexo masculino. Além disso, elas são freqüentemente menos rebeldes e menos opositivas. Como a comorbidade com os transtornos de ansiedade e depressão são os sintomas mais freqüentes, as mulheres costumam ter uma instabilidade emocional importante, com possibilidades de freqüentes mudanças de humor.”

fonte: Dr. Evelyn Vinocur

“Estranhamento”

Hoje eu acordei achando que seria mais um domingo sem graça, apesar do cinema que eu ainda iria. Levantei, tomei meu café e fui me trocar.

No banheiro, onde meus devaneios são mais intensos, sabe-se lá pq ( hsauhussausahsu²²² ), comecei a divagar sobre os esportes que eu já fiz em toda minha vida: natação, volley, handball, tênis, além de insistir com minha mãe pra fazer basket, judô e/ou karatê, coisa que não deu certo e yôga, que pratico há 3 anos.

Me detive na época de ensino fudamental, 7ª/8ª série, nas aulas de educação física, onde eu sempre me dei bem, adorava.

Daí eu fiquei pensando “todo esse introzamento com o esporte me fez construir tamanha afetividade?”, é estranho pensar assim, mas sabendo que o DDA adora esporte justamente pq estimula a mente, a gnte fica pensando que muitas coisas na nossa vida aconteceram por causa de um distúrbio.Vejam, eu não tô dizendo que é frustrante tudo isso e sim, intrigante tua vida se basear no TDA-H e do nada você descobrir isso.Os acontecimentos mais importantes, mais tristes, mais felizes em minha vida aconteceram por conta disso ( um dia eu falo mais sobre isso ).

Se hoje eu tô aqui, sem saber em qual período da faculdade eu tô, fazendo yôga e tendo uma ansiedade incrível, tendo todos os tiques nervosos que eu conheço ( é estranho, muito estranho sahaushu ), é devido ao DDA. Descobertas que só fazem, cada vez mais importante, o diagnóstico do TDA-H o mais rápido possível.

Diagnóstico

Depois de muito pesquisar e mostrar todas essas pesquisas aos meus pais, fomos procurar um especialista. Por sorte encontramos aqui em São Luís, que apesar de ser capital, é a mais pobre, o que dificulta certas coisas (Y).

Na consulta, ela fez algumas perguntas a minha mãe, tipo: se eu tive algum problema no parto, se tinha dificuldade pra estudar quando era menor, se era muito quieta ou muito agitada, coisas que eu não me lembraria =)

Respostas: eu tive problemas no parto sim, se não me engano o cordão umbilical tava me sufocando e provavelmente isso aconteceu durante a gestação também, nasci com pouco peso, 2,5kg; sempre fui muito quieta em sala de aula e minha mãe vivia pegando no meu pé pra estudar hehe coisa que acontece com todo dda.

A doutora explicou que a complicação durante o parto e provavelmente durante a gestação foi a “válvula de escape” pro distúrbio. Que eu eu já teria um precedente genético e esse fato só vez o distúrbio de manifestar.

Daí minha mãe saiu da sala e a doutora me perguntou oq tava me fazendo achar que eu tinha TDA-H.Disse tudo que veio na cabeça, incapacidade de me concentrar nos estudos, nas aulas, que já havia desistido de vários livros e projetos, já tinha reprovado muito na faculdade pq não conseguia me concentrar, numa conversa, por mais que eu me concentra-se e o assunto fosse interessante chegava uma hora q eu me perdia e mais um monte de outras coisas.Daí eu parei de falar e ela continuou, falou muitas outras coisas que aconteciam cmg, sem nem me conhecer, deu exemplos de outros dda’s e eu fui me identificando.Confesso que fiquei com vontade de chorar, pq muitas coisas ruins que já tinham acontecido cmg aconteceram em decorrência de um DDA não tratato, como ela disse.

Minha mãe voltou, e ela deu o diagnóstico de que eu tinha uma dda leve. Por que leve?  Bom, eu consegui passar no vestibular, mesmo q tivesse sido minha mãe quem ficou me perturbando a vida p estudar durante 18 anos da minha vida xD.

O que mais me confortou foi saber que nós somos diferentes, em 2 sentidos:

  1. Somos muito inteligentes, temos o pensamento muito rápido mas não conseguimos expressá-los;
  2. Gostamos de ser diferentes dos outros, pq nos achamos diferentes, mesmo sem saber que temos TDA-H, sabemos que somos diferentes e essa idéia conforta  a gnt, mesmo sem ngm entender nem nos enxergar diferentes.

Ela continuou falando mais um monte de coisas que iam me impressionando cada vez mais por fazer parte da minha vida, do que eu já tinha passado e ainda passo.Disse que o diagnóstico pode ser confundido com outras coisas, como depressão, que me foi diagnosticado anteriormente.Ou seja, não é qualquer pessoa que pode doagnosticar o distúrbio, ele já deve ter estudado muito sobre o assunto, convivido com dda’s, pq assim como a esquizofrenia por exemplo, o TDA-H, só é diagnosticado clinicamente, deve ser levado a sério.

Depois de muito falar, muito ouvir e muito chorar, fui encaminhada pra fazer alguns exames para que pudesse começar a tomar a Ritalina, remédio que faz parte do tratamento e que fizesses psico-terapia tb, já que não me encontrava num estado muito bom shauhasasau.Saí do consultório de alma lavada, MUITO aliviada, e começando a entender muita coisa e a mim mesma.É difícil tu ver todo mundo se dando bem e tu ficando pra trás mas é tão bom quando tu toma conhecimento de que tu é tão capaz quanto esse “todo mundo” ou até melhor =)